google-site-verification: googleac1214eb42ce8bbe.html Aparelhos Auditivos e CPAP| Porto Alegre | VivaSom

(51) 98100.8350

(51) 3086-4866

  • White Facebook Icon

R. dos Andradas, 1781, Conjunto 1806. Centro Histórico, Porto Alegre - RS

©  2017 por AS Consultoria

Audição e perda auditiva.

     Nossos ouvidos nos ajudam a perceber o que está ocorrendo a nossa volta. Além de perceberem os sons, eles também nos dão informações sobre a posição de nossos corpos, sendo parcialmente responsáveis por nosso equilíbrio. O pavilhão auditivo (orelha externa) concentra e capta o som para podermos ouvir os sons da natureza, diferenciar os sons vindos do mar do som vindo de um automóvel, os sons fortes e fracos, graves e agudos. Com nossas duas orelhas, conseguimos localizar a que distância se encontra o emissor do som. Elas captam e concentram as vibrações do ar, ou melhor, as ondas sonoras, que passam para a parte interna do nosso aparelho auditivo, as orelhas médias, onde a vibração do ar faz vibrar nossos tímpanos - as membranas que separam as orelhas externas das médias.

     Essa vibração é transmitida para três ossículos: o martelo, a bigorna e o estribo. Através destes, o som passa a se propagar em um meio sólido, sendo assim transmitido mais rapidamente. A vibração chega à janela oval - cerca de vinte vezes menor que o tímpano - concentrando-se nessa região e amplificando o som. Da orelha interna, partem os impulsos nervosos. Nosso aparelho auditivo consegue ampliar o som cerca de cento e oitenta vezes até o estímulo chegar ao nervo acústico, o qual levará a informação ao cérebro.

 

     Quando movemos a cabeça, movimentamos também os líquidos existentes nos canais semicirculares e no vestíbulo da orelha interna. É esse movimento que gera os estímulos que dão informações sobre os movimentos que nosso corpo está efetuando no espaço e sobre a posição da cabeça, transmitindo-nos com isso a noção de equilíbrio.

Perda Auditiva - Estou ficando surdo?

     Ao sentir dificuldade em compreender sons, vozes e principalmente ter dificuldades de comunicação, a pessoa logo pensa estar ficando "surda", mas há vários tipos de perdas auditivas. Algumas transitórias, outras permanentes, e provocadas pelos mais diversos fatores. Veja:

 

     PERDA AUDITIVA CONDUTIVA - A perda auditiva condutiva é causada por problema na orelha externa ou média. Com uma perda condutiva, as ondas sonoras são bloqueadas conforme elas se movem através da orelha externa e média. Desde que o som não possa ser conduzido eficientemente, a energia sonora que chega à orelha interna é fraca ou baixa. Uma perda auditiva condutiva pode ser resultado de uma infecção, acúmulo de cera excessiva, fluido na orelha média, problemas nos ossículos da orelha média, perfuração de membrana timpânica ou até mesmo um corpo estranho no canal auditivo.

   Sintomas que podem aparecer:

- Perceber a fala ou outros sons fracos ou abafados,

- Dor de ouvido ou secreção,

- Vermelhidão ou inchaço na orelha externa,

- Pressão ou sensação de ouvido tampado

     PERDA AUDITIVA SENSORIONEURAL - A perda auditiva sensorioneural é causada por problemas na orelha interna (ausência ou lesão das células sensoriais auditivas). A onda sonora viaja normalmente através da orelha externa e média, porém, a orelha interna é incapaz de captar as vibrações ou é incapaz de enviar as vibrações para o cérebro. Ela geralmente ocorre nas duas orelhas. Uma perda sensorioneural pode ser resultado de infecção, doenças, algumas drogas, ruído excessivo, problemas no nascimento e idade.

   Sintomas que podem aparecer:

- Perceber a fala ou outros sons distorcidos ou não estão claros,

- Dificuldade em ouvir alguns sons (principalmente sons agudos),

- Ouvir um zumbido constante ou periódico,

- Dificuldade de entendimento da fala na presença de ruído.

     PERDA AUDITIVA MISTA - A perda auditiva mista é causada por problemas de orelha externa/média e orelha interna. Tipicamente, as ondas sonoras não são conduzidas efetivamente para a orelha interna, e uma vez que elas alcançam a orelha interna, as vibrações não podem ser captadas e enviadas para o cérebro. Portanto, uma perda auditiva mista é uma combinação de perda auditiva condutiva e perda auditiva sensorioneural.

      Sinais/Sintomas que podem aparecer:

Veja acima os sintomas em Perda Auditiva Condutiva e Perda Auditiva Sensorioneural.

      A perda auditiva compromete a qualidade de vida conforme sua intensidade. Veja abaixo como são classificados os vários tipos de perda auditiva quanto à intensidade.

 

     Independentemente do grau de sua perda auditiva, a VivaSom tem inúmeras soluções para compensar a audição perdida. Nossas equipes estão preparadas para avaliar sua perda, auxiliar na escolha do aparelho que melhor atende suas necessidades pelo melhor preço, bem como calibrar o aparelho e lhe instruir sobre a melhor forma de utilização e conservação dos aparelhos auditivos. Também oferecemos uma linha completa de acessórios para que seus aparelhos auditivos estejam sempre funcionando nas melhores condições possíveis de qualidade e durabilidade. Temos também assistência técnica para todos os tipos de aparelhos auditivos, de todas as marcas. Clique aqui e conheça um pouco dos tipos de aparelhos que oferecemos.

 

Sono, "ronco" e qualidade de vida.

 

     Assim como praticar exercícios e manter uma alimentação saudável, o sono é muito importante para sua qualidade de vida. Afinal passamos um terço da vida dormindo, justamente porque é durante o sono que reparamos os danos do nosso corpo, bem como fixamos as memórias do que aprendemos durante o dia, dentre outras funções imprescindíveis à saúde física e mental.

     Um sono de má qualidade é um caminho rápido para alterações como hipertensão, diabetes, irritabilidade, sonolência excessiva e perda de memória podem acontecer, além de afetar de forma indireta a nossa qualidade de vida, acarretando problemas na vida familiar, profissional e social.

     Ao ler esse tipo de coisa, você se pergunta: eu durmo bem? Como é a qualidade do meu sono? Será que a qualidade do meu sono está afetando o meu dia a dia?


     As respostas positivas para essas perguntas podem ser a diferença entre viver bem ou prejudicar em muito a qualidade de vida e principalmente a saúde. A resposta negativa muitas vezes está relacionada com a apneia do sono. Você sabe o que é apneia?

     A palavra apneia significa “ausência da respiração”. A SAOS (síndrome da apneia obstrutiva do sono) ocorre durante o sono e é o distúrbio no qual a pessoa sofre breve e repetidas interrupções da respiração enquanto dorme, são causadas por obstruções na passagem do ar pelas vias aéreas.

     A SAOS é definida como “repetidas interrupções na respiração durante o sono, devido à obstrução da via aérea superior, que na maioria das vezes está acompanhada da diminuição da saturação de oxigênio no sangue seguido do micro despertar para respirar”. Veja abaixo uma ilustração que explica um pouco sobre como acontecem o "ronco" e a apneia do sono.

Eu tenho apneia do sono?

     Já que este é um problema que você apresenta dormindo, é normal que jamais descubra sozinho. Assim, as melhores pessoas para encontrar essa reposta são as que convivem com você. Pergunte: eu tenho ronco alto e interrompido? Meu sono é agitado? Tenho engasgos noturnos? Os sintomas você mesmo pode perceber. São coisas como cansaço constante, dor de cabeça pela manhã e outros, veja:

  • Ronco alto e interrompido

  • Sono agitado

  • Engasgos noturnos

  • Sonolência excessiva durante o dia

  • Sono não reparador

  • Fadiga crônica

  • Dor de cabeça pela manha

  • Irritabilidade

  • Depressão e apatia

  • Dificuldade de concentração

  • Perda de memória

  • Hipertensão arterial

  • Poliúria noturna (aumento da necessidade de urinar)

  • Impotência sexual

 

     É importante que você vá a um médico especialista em distúrbios do sono, otorrinolaringologista ou o pneumologista, por exemplo. O diagnóstico da SAOS é feito por meio de um exame chamado polissonografia (estudo do sono) que será solicitado pelo seu médico. Este exame pode ser realizado em casa, por meio de equipamentos ambulatoriais, ou pode ser realizado no laboratório do sono onde o paciente passa a noite para a realização do exame.

     Se não sinto nenhum incômodo além do barulho, devo me preocupar com meu ronco?

 

   O fato de não tratarmos a SAOS pode nos acarretar problemas como:

  • AVC – acidente vascular cerebral

  • Problemas cardiovasculares

  • Hipertensão arterial

  • Pode causar acidentes no trânsito ou no trabalho devido à sonolência excessiva, entre outros problemas.

 

   O tratamento da SAOS muitas vezes é simples, pode variar de acordo com a gravidade do caso e de acordo com critério médico, podendo ser através de:

  • Aparelho intra-oral – confeccionado por um dentista especializado, com objetivo de desobstruir a via aérea superior.

  • Cirurgia – o médico avalia a necessidade da intervenção cirúrgica para que haja a desobstrução da via aérea.

  • CPAP (aparelho de pressão positiva continua nas vias aéreas) – é a principal arma no tratamento da SAOS. O fluxo de ar gerado pelo aparelho impede o fechamento das vias aéreas durante o sono.

 

     Os níveis de pressão de ar necessários para evitar os eventos de Apneia variam de acordo com e necessidade de cada paciente, e de acordo com o grau de gravidade da doença. Os aparelhos CPAP adaptam-se a cada caso e utilizar um CPAP não é tão complicado quanto parece. Na maioria das vezes, as pessoas se adaptam rapidamente e notam uma melhora tão expressiva na qualidade de vida que só então compreendem o quanto que suas vidas estavam sendo afetadas pelo não tratamento do que consideravam um simples “ronco”. É muito comum o relato de melhora na disposição, diminuição do ronco e da sonolência diurna, dentre outros aspectos.

     Olhando para a máquina, pode parecer incômodo utilizá-la, justamente para dormir. Mas o corpo humano se adapta rapidamente ao estímulo do fluxo de ar e, com o passar dos dias, o uso do CPAP torna-se um hábito.

    Dicas para uma boa noite de sono restaurador

  • Respeite seu horário de dormir mantendo horários regulares de sono

  • Não durma com a TV ligada, evite exposição à luz intensa durante a noite

  • Evite banho muito quente antes de dormir, dê preferência a banhos mornos

  • Não como muito antes de ir dormir, porém não vá dormir com fome

  • Evite sonecas durante a tarde

  • Evite ficar na cama depois que você não tenha mais sono

  • Evite cafeína após o jantar

  • Não fume antes de dormir

  • Evite tomar bebida alcoólica 6 horas antes de dormir

  • Não se ocupe com questões que te preocupem antes de dormir

  • Faça exercício físico regularmente

     A VivaSom trabalha com uma completa linha de CPAP, as máquinas que auxiliam no controle do ronco e da apneia do sono. Além da comercialização e manutenção dos aparelhos, realizamos todo o processo de instalação e adaptação do aparelho em sua casa, tudo para que você tenha o sono que merece. Clique aqui e conheça nossa linha de CPAP.